Blog

Veja conteúdos mais completos sobre energia solar fotovoltaica

Entenda como é cobrado o valor do kW/h da CEMIG

Detronic | Postado em 27/06/2022 - Atualizado em 27/06/2022

Entenda como é cobrado o valor do kW/h da CEMIG

Grande parte dos consumidores de energia elétrica, tanto residenciais quanto donos de comércios ou empresas, não entendem tudo que consta na conta de luz. A começar pelo valor do kWh da CEMIG, por exemplo, para quem mora em Minas Gerais.

Normalmente, na fatura de energia, prestamos atenção apenas no valor total a ser pago, sem dar destaque a outros parâmetros abordados. Contudo, é importante compreender como está sendo tarifado na conta de luz, para avaliar se é mesmo rentável continuar usufruindo da energia elétrica fornecida pela concessionária.

A seguir, saiba como é cobrado o valor do kWh da CEMIG!

O que vem de cobrança na conta de energia?

Você já deve ter reparado que a CEMIG, assim como outras concessionárias de energia, contabilizam o consumo do mês para fazer o cálculo da conta. Mas, como vimos, não é o único fator que define o valor do kWh. Ainda temos que pagar pela geração da energia (54,1%), pela transmissão (6,6%), pela distribuição (31,1%) e pelos encargos (8,2%).

Na conta de luz, boa parte dessas porcentagens é de encargos e tributos. Ou seja, a fatura não diz respeito, única e exclusivamente, ao que você consome. Eles podem ser tanto municipais e estaduais quanto federais.

Entre os encargos, podemos mencionar:

  • CCC (Conta de Consumo de Combustíveis);
  • ECE (Encargo de Capacidade de Emergência);
  • RGR (Reserva Global de Reversão);
  • TFSEE (Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica);
  • CDE (Conta de Desenvolvimento Energético);
  • ESS (Encargos dos Serviços do Sistema);
  • P&D (Pesquisa e Desenvolvimento de Energia Elétrica);
  • ONS (Operador Nacional do Sistema);
  • CFURH (Compensação Financeira pelo uso de Recursos Hídricos);
  • PROINFA (Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica).

Já os tributos que incidem na conta de energia são PIS, Cofins, Custeio do Serviço de Iluminação Pública e ICMS. Lembrando que são isentos deste último as subclasses Residencial Baixa Renda beneficiárias da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), com faturamento mensal semelhante ao consumo de 3 kWh por dia.

Existe diferença do valor do kWh da CEMIG para residência e comércio?

Na sua conta da CEMIG, provavelmente você reparou que existe um campo ao lado do número de instalação que fala sobre “Subclasse“. Ele pode ser residencial, comercial, rural, industrial ou poder público. Na prática, isso promove algumas diferenças no valor final cobrado.

Mas a maior parte da diferença se dá pela alíquota de ICMS. Para se ter uma ideia, uma unidade consumidora de baixa tensão residencial paga 30%, enquanto o comércio arca com 25%. Já para a indústria, esse valor é de 18%.

Casal segura conta para verificar valor kwh cemig

O que faz a conta ficar mais cara?

A geração de energia depende hoje, principalmente, das usinas hidrelétricas e termelétricas. Nas épocas de pouca chuva, o funcionamento delas fica comprometido. É então que as usinas termelétricas entram em ação, para suprir a falta das hidrelétricas, o que deixa a energia mais cara.

Para determinar o repasse do valor ao consumidor final, as empresas de energia elétrica definem bandeiras tarifárias. Elas aparecem nas cores verde, amarela e vermelha para sinalizar se a conta de luz ficará mais cara ou não, em função das condições de geração favoráveis.

Com a bandeira verde, as condições de produção de energia estão ideais e a tarifa não sofre acréscimos. A bandeira amarela acontece diante de condições menos favoráveis para a geração de energia — ainda que nem tanto quanto nos casos de bandeira vermelha. Quando ela é aplicada, é acrescentado à conta o valor de cada 100 kWh da CEMIG é de R$ 1,874*.

Sobre o tarifário da bandeira vermelha, existem dois cenários nos quais ela influencia o valor do kWh da CEMIG:

  • Patamar 1: acréscimo de R$ 3,971* a cada 100 kWh consumidos;
  • Patamar 2: acréscimo de R$ 9,492* a cada 100 kWh consumidos; 

Além disso, existe também a bandeira de escassez hídrica, criada para custear o acionamento de usinas térmicas e a importação de energia. Quando aplicada, a tarifa sofre acréscimo de R$ 14,20 a cada 100 quilowatt-hora para todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional, exceto aqueles que são beneficiários da tarifa social.

No campo de “Informações gerais” da sua conta, você encontra anotações sobre reajustes de tarifas e bandeiras tarifárias. Assim, fica mais fácil entender possíveis aumentos no valor do kWh da CEMIG.

Como reduzir a conta de energia?

Como você já deve ter percebido, a conta de luz está cada vez mais cara. Isso acontece devido às crises hídricas e à consequente implementação das bandeiras tarifárias. Por essa razão, vale buscar soluções mais sustentáveis para economizar energia e reduzir os impactos ambientais no país.

Usar menos o chuveiro elétrico, secadores e outros aparelhos de alto consumo já é um bom começo. Evitar os horários de pico, das 17h às 20h, também pode ajudar. Mas com as altas de tarifas, a melhor maneira é recorrer a fontes alternativas, como a energia solar. Ela é uma fonte inesgotável e, por conta disso, contribui para a preservação do meio ambiente.

Quando falamos no valor do kWh da CEMIG, vale lembrar que não se paga apenas pelo consumo, mas também pelos custos de geração e distribuição de energia e tributos. Diante disso, a melhor forma de não ser condicionado às variações de bandeira tarifária é investindo em estratégias sustentáveis e duradouras.

Com a Detronic Energia, você tem energia solar 100% limpa, renovável e segura à sua disposição. Economiza até 20% na sua conta de luz e ainda assume uma postura mais sustentável com o planeta. Quer saber mais? Siga a nossa página no Instagram, Facebook e LinkedIn!

*Valores obtidos em junho/2022, sujeitos a alterações. Para entender melhor, confira informações de bandeiras tarifárias no site da CEMIG!

2022 | Detronic Energia. Todos os direitos reservados.